quinta-feira, julho 19, 2007

Repercussão da Agressão Policial em MG


Noticiei no Skate é Cultura e no site da SKT sobre alguns skatistas que foram agredidos excessivamente por policiais em Belo Horizonte. A TV Alterosa fez uma matéria sobre o fato mostrando a crueldade com que os jovens foram tratados. Este fato lamentável foi visto por diversas pessoas, e a notícia tomou maiores proporções, chegando a Câmara Municipal e a Assembléia Legislativa.

O Jornal Estado de Minas de hoje aproveitou este fato e também fez uma matéria. Para a ocasião foi entrevistado o Coordenador Municipal de Juventude de BH, o Nelsinho Santos, que se mostrou sensibilizado diante da situação. De acordo com o jornal,

"Ontem, ele se reuniu com grupo de skatistas para ver as imagens e encaminhou a denúncia às comissões de Direitos Humanos da Câmara Municipal e da Assembléia. 'Os jovens estavam usando um espaço criado para a convivência urbana. A partir do momento em que todos não podem usufruir daquela árera, temos um problema institucional', disse Santos, que anunciou a construção de duas pistas de skate na Praça JK e no Parque das Mangabeiras, na Região Centro-Sul, e a proposta de criação de uma terceira na área central. Segundo ele, a Praça Sete foi revitalizada e não é apropriada para skatista. 'Mas policiais não podem agredir jovens que estão praticando esporte.'

Nelsinho defende que a sociedade e a polícia mudem a visão de que skatista é bandido. 'Hoje é universitário, empresário e pai de família que andam de skate com os filhos”, disse. Para ele, é lamentável a violência praticada por policiais.' "

Quem lamentou este fato também foi a presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Municipal, vereadora Ana Paschal (PT). Segundo ela em entrevista ao Estado de Minas,

"Sabemos quantos jovens são mortos no tráfico de drogas. E o skate, o futebol, a natação e qualquer outro esporte são caminhos para acabar com a violência. Vamos acompanhar o caso. Os meninos precisam ser ouvidos e vamos apurar os fatos juntos”.

Já o "promotor da Infância e da Juventude de Belo Horizonte, Lucas Rolla, conta que é notória a carência de espaço público para crianças e adolescentes da capital praticarem esportes, especialmente o skate, que exige um investimento maior na construção de obstáculos. 'É uma questão a ser debatida de forma que motive o poder público a mostrar mais vontade política e investir nos nossos jovens', afirma. "

Após este fato tornou-se público as constantes agressões sofridas pelos skatistas no meio urbano. Por um lado, este fato deu visibilidade ao preconceito e intolerância da sociedade diante de um estilo de vida e uma prática cultural e esportiva juvenil. Espero que isto sirva de exemplo para outros setores, para que passem a olhar mais para esta cultura urbana que é apenas diferente das demais, e que busca nas cidades, meios para a afirmação da identidade de um grupo.

Parabéns a TV Alterosa e Jornal Estado de Minas pela matéria. E que justiça seja feita. Vamos aguardar novas repercussões sobre este incidente.

Fonte: Jornal Estado de Minas. Quinta-feira, 19 de Julho de 2007. Caderno Gerais.
http://www.uai.com.br/em.html

Por: Giancarlo Machado

2 comentários:

Anônimo disse...

Li o primeiro post a respeito da atitude dos PM's em relação a galera do skate e, ainda há pouco acabei de ler este, sendo assim, posso tecer N comentários a respeito, até pq sou skatista há um bom tempo.

Vamos por partes:

1) O que se pode esperar de sujeitos que se escondem atrás de uma farda e uma arma, para poder fazerem as maldades que bem entendem, utilizando-se do respaldo da Lei e, que se intitulam AUTORIDADES (?);

2) Como sujeitos que para serem incorporados têm de ter o segundo grau, mas que na verdade, fazem provas a nível do primeiro seguimento (1ª à 4ª séries do Ensino Fundamental / Primário), podem entender que a simples prática esportiva não tem nada de errado. O que é errado por parte dos governos é permitir que sujeitos DESEQUILIBRADOS fiquem soltos por aí, pondo em risco a vida da população;

3) Por que será que quando esses sujeitos têm de subir morros atrás de traficantes, não o fazem com o mesmo ímpeto??? Ah, já sei. Como diz o ditado: quem tem cú, tem medo!!!!
Ou pior, qdo sobem um morro, atiram em inocentes, pra mostrar serviço e, para "provar" algo, põem uma arma e uma trouxinha nas mãos da pessoa morta por esses "servidores da Lei";

É por isso, que para esse tipo de gente cai bem a alcunha: PORCOS FARDADOS!!!!

Pedro Bife disse...

Lamentável...

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails